domingo, 18 de dezembro de 2011

Poeta: Pedro Stiehl - Rastilho

Desejo a loucura que desconheces
onde pousam tuas aves selvagens
depois de alcançarem voo da inocência.

Desejo o rastilho de teu riso
que incendeia o inferno quando de alegria
e pacifica o céu quando gozo.

Desejo o definitivo
como o homem primitivo
desejou as deusas
que nunca existiram

E eu faria existir.

Pedro Stiehl, O livro das Franquezas Humanas

2 comentários:

  1. camila pereira oliveira19 de dezembro de 2011 00:18

    Deusa eu não sou ..mas á loucura posso te levar, te fazer rir e sonhar pois sei os extremos da selvageria e da inocência que o verdadeiro amor pode ensinar ...te amo beijão lindo !!

    ResponderExcluir
  2. Meu Deus, poemas meus neste site este comentário, então!! Estou no paraíso??

    ResponderExcluir